02/10/2015

Ser humano

Não basta ter nascido bípede com postura ereta, destreza manual, cérebro desenvolvido... pra ser humano. Muito mais é necessário.

Ser humano é ser educado, conduzido e guiado por seres humanos, isto é, por adultos que, na infância, foram respeitados como crianças e acompanhados de outros adultos que sabiam diferenciar quem cresceu e quem estava em crescimento. 

Ou seja: só consegue educar quem, por sua vez, foi educado.

Quem não foi educado para ser humano, além de continuar a sofrer na carne e na mente os efeitos da não educação, tende a reproduzi-los em maior ou menor escala nas relações que estabelece com os próprios filhos e com os filhos dos outros. Ou seja: quem não foi educado para ser humano não consegue educar para ser humano.

Humanização e desumanização, portanto, são ações essencialmente ligadas a seres que foram educados ou não, dependendo do meio ambiente em que nasceram e cresceram. Ou seja: não basta nascer com características humanas para ser humano; é preciso conviver com outros seres humanos.

O meio em que cada um de nós nasceu não apenas foi como continua sendo muito importante para o tipo de ser humano que cada um de nós é e quer ser. Tal como o húmus, que torna o solo fértil para produzir alimentos, muito do que cada um de nós é decorre do tipo de tratamento que recebemos dos nossos pais, familiares, amigos, vizinhos... nos ambientes que frequentamos, inicialmente, por obrigação e, depois, como nosso consentimento.

Embora fundamental – sobretudo na infância, quando ainda não temos condições objetivas de atuar e, principalmente, de nos defender –, o meio ambiente não nos define. A partir do momento em que começamos a entender a série de regras que sustentam os relacionamentos, começamos também a nos posicionar e fazer opções. Erramos, acertamos, erramos e acertamos novamente e, assim, vamos nos fazendo mais ou menos humanos.

O que fazemos com o que recebemos de orientação dos humanos que nos receberam e nos acompanharam é o que nos diferencia dos não humanos e, igualmente, dos outros humanos. O que também nos diferencia deles é nossa capacidade de alterar o meio em que vivemos e, alterando o ambiente, alterarmos a nós mesmos.

Quantos de nós educam para ser humano? Quantos de nós educam pra ser outra coisa qualquer?

Nenhum comentário:

Postar um comentário